Ok, vamos falar de arbitragem

Ok, vamos falar de arbitragem

0 1671

Vocês que me acompanham no blog e assistem ao programa já sabem o quanto eu amo futebol. Amo todos os seus aspectos e tudo que está direta ou diretamente envolvido. Logicamente uma das coisas que eu gosto é conversar sobre futebol. Digo conversar, porque não discuto futebol, discutir é pra gente sem raciocínio, que sai dizendo aquilo que acredita sem se importar com aquilo que os outros tem a dizer. Mas isso é um assunto pra outro post.

Dentre os assuntos que eu gosto de conversar sobre futebol, não está incluido arbitragem, por motivos simples. Primeiro porque não entendo o suficiente pra fazer conclusões acertadas. Segundo porque compreendo que o árbitro é um ser humano e os avanços da tecnologia da transmissão estão muito grandes e aí fica fácil ver os erros dos outros.

Porém, hoje, em face dos acontecimentos da semana passada nos clássicos estaduais, vou me pronunciar brevemente, antes dos primeiros jogos das finais, estando certo que os erros irão se repetir ao longo deste ano e dos próximos até Jesus volte.

A primeira alegação que torcedores inflamados fazem é “juiz ladrão”. Até acredito que possa acontecer, mas me diga, quem em sã consciência colocaria sua carreira em risco por alguns trocados para favorecer time A ou B? Além disso, qual time do futebol brasileiro e até mundial, tem dinheiro em caixa pra ficar “comprando juízes” por aí?

A segunda alegação, é especifica do Rio de Janeiro. “Eurico manda na FERJ” ou “A culpa desses erros é da FERJ”. Posso afirmar sem medo de errar que a federação do Rio é uma das piores que já pude conhecer em minha breve existência. Contudo, acho que é leviano da parte de qualquer um dizer que existe favorecimento para qualquer time que seja. Mesmo sabendo que Eurico Miranda não é flor que se cheire, não acredito que ele tenha poder pra influenciar todos os árbitros dessa forma.

A terceira alegação é na minha opinião aquela que nos leva ao centro da questão.”Nossos árbitros são mal preparados”. Agora sim, com essa eu concordo totalmente. Num futebol onde os salários chegam a 100, 250 e 500 mil reais, um arbitro que ganha 3 mil está um pouco abaixo. O que acontece em alguns casos é que o juiz não é profissional e tem outro emprego pra pagar as contas, aí logicamente não pode se concentrar somente no futebol. Outro problema é que diferente dos clubes, os árbitros não tem um centro de treinamento e nem uma equipe dedicada a seu preparo físico, psicológico e muito menos técnico. Soma-se a isso as 18 câmeras em cada jogo, tira-teima, câmera 360, replays e especialistas em cabines com ar condicionado.

Desse ponto de vista acho injusto crucificar a arbitragem quando erram. Só pra deixar em mente também que o juiz que hoje erra a favor do seu time e você comemora, amanhã vai errar contra seu time e não adianta chorar.

Aquele abraço,

Fábio Marques

ARTIGOS SEMELHANTES

0 2494

0 2152