Pai tome tempo para amar

Pai tome tempo para amar


Todas as pessoas de bom senso, em algum tempo de suas vidas, já se preocuparam com seu futuro, até que encontraram a sua razão de viver e partiram resolutos para o seu destino. Um grande homem, que era ao mesmo tempo um rei poderoso e profeta piedoso, reconhecendo que sua vida não era obra do acaso nem um acidente, mas que estava não mãos de Deus, escreveu resoluto: “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda” (Sl 139.16). Esta era a certeza de Davi.

Isso nos enseja uma questão que realmente incomoda toda alma atenta e desafia cada espírito perspicaz: o meu, o seu, o nosso futuro está nas mãos de quem?

A resposta depende do modo como cada pessoa enxerga a vida. Jesus disse, a esse respeito, que o modo de alguém enxergar a vida é que define se viverá uma experiência de trevas ou se experimentará uma caminhada iluminada pela certeza de um propósito maior: “Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas” (Mt 6.21-23).

Permita-me ilustrar como a nossa preocupação legítima encontra em Deus a solução para as incertezas da vida quanto ao Seu propósito a nosso respeito.

Conta uma lenda que, no alto de uma montanha, havia três pequenas árvores que sonhavam sobre o que gostariam de ser quando fossem grandes. A primeira, olhando as estrelas, disse: “Eu queria ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros. E até me disporia a ser cortada”.

A segunda olhou para os riachos, e suspirou: “Eu quero ser um grande navio e transportar reis e rainhas”. A terceira olhou o vale, e disse: “Eu quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas, ao olharem para mim, levantem seus olhos e pensem em Deus”.

Muitos anos se passaram e, certo dia, vieram três lenhadores nem um pouco ecológicos e cortaram as três árvores, todas ansiosas em se transformarem naquilo que sonharam…. Que pena!

A primeira árvore acabou sendo transformada em um coxo de animais, coberto de ração. A segunda virou um simples e pequeno barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias. A terceira, mesmo sonhando em ficar no alto da montanha, acabou cortada em grossas vigas e colocadas de lado em um depósito. E as três árvores se perguntaram desiludidas e tristes: “Por que isto aconteceu conosco?”.

A lenda continua. Pois, certa noite, cheia de luz e estrelas, quando parecia haver melodias no ar, uma mulher chamada Maria colocou naquele coxo de animais o seu filho recém-nascido. De repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo…

A segunda, anos depois, veio a transportar um homem que acabou dormindo no barco, e este se levantou e disse ao mar revolto: “Sossegai!” E num relance, a segunda árvore entendeu que estava carregando o Rei dos céus e da terra.

Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela, pois fora condenado à morte, mesmo sendo inocente. Sentiu-se horrível e cruel. Mas no domingo, o mundo vibrou de alegria e a terceira árvore entendeu que pregaram nela um homem para a salvação da humanidade, e que ao olharem para ela, sempre se lembrariam de Deus e de Jesus Cristo.

Moral da história: as árvores tinham sonhos legítimos, mas as suas realizações foram mil vezes melhores e mais sábias do que haviam imaginado… por causa do propósito de Deus.

Assim também, todos nós temos nossos sonhos e planos. Por vezes, não coincidem com o propósito de Deus para nós. E, finalmente, quase sempre somos surpreendidos com a generosidade e misericórdia do Senhor. Por isso, é importante compreendermos que tudo o que vem de Deus é bom. Devemos crer que podemos esperar em Deus, pois Ele, como um Pai Amoroso, sabe o que é melhor para cada um de nós. Tudo porque Ele realmente nos ama e se importa conosco.

Essa é uma das questões que mais incomodam as pessoas: se Deus se importa com elas ou não. Para os céticos, Deus não se importa de jeito nenhum. Os ateus sequer crêem em Deus. Mas, e os que dizem crer em Deus, o que pensam? Será que não fica uma frustração vez por outra, porque Deus parece ausente, calado, distante mesmo?

Alguns tentam aplacar suas mentes com a justificativa de que Deus está ocupado demais cuidando do universo para lhes dar atenção. Sendo assim, por que Ele se interessaria por nós, pelo nosso sucesso, se sofremos ou somos felizes, se ganhamos ou perdemos, se vivemos ou morremos?

A Bíblia deixa bem claro que Deus realmente se importa com o que pensamos, com o que sonhamos, com o que realizamos, enfim, com o nosso futuro. Jesus é a maior prova de que Deus realmente se importa. Deus enviou o seu próprio Filho para morrer por nós. Jesus disse: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que toda aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Deus também se importa com o que fazemos, com o nosso sucesso ou fracasso na vida, tendo planejado o melhor para nós, pois “somos feitura dele, criados em Cristo Jesus, para as boas obras que ele de antemão preparou para que andássemos nelas” (Ef 2.10).

Lembro-me de ter lido que no Arizona, nos Estados Unidos, há uma notável ponte natural que atravessa um profundo abismo, com 15 metros de largura. É formada por uma grande árvore petrificada que, segundo os cientistas há muitos séculos tombou devido aos efeitos de uma terrível tempestade, ficando sobre o abismo. A água e o tempo fizeram-na passar por sucessivos estados de mineralização e agora é uma árvore maravilhosa de ágata sólida.

Quando, um dia, em pleno vigor, batida do furacão, esta árvore foi atirada ao solo, pareceu um fracasso. No entanto, que nobre missão estava ela destinada – a de formar assim uma ponte a permanecer por séculos servindo de passagem a um e outro lados do abismo!

Desse modo, aprenda a confiar em Deus, sabendo que o seu futuro está em Suas mãos! Agora, pergunte ao seu próprio coração: Será que realmente eu me importo com Deus e os Seus planos para minha vida?

 

 
Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém

E-mail: samuelcamara@boasnovas.tv

ARTIGOS SEMELHANTES