Viva um abençoado 2014!

Viva um abençoado 2014!

pr_samuelHoje eu gostaria de relatar a história que ilustra como, algumas vezes, Deus trabalha de maneira misteriosa. Eu tive o privilégio de lê-la há muitos anos numa antiga e conceituada revista, sobre retalhos da vida real, e a mesma narrava o reencontro de um casal que há muito tempo fora separado pelas agruras da Segunda Guerra Mundial. Tal fato aconteceu em Nova York, na época do Natal.

Um jovem pastor e sua esposa, logo após sua formatura no seminário, haviam sido enviados para reabrir uma igreja no bairro do Brooklyn. Ao chegarem, no início de Outubro, entusiasmados com a oportunidade, logo viram que o templo estava muito avariado, com muitos estragos e um grande trabalho a ser feito. Sem se deixar abater, estabeleceram como meta deixar tudo pronto para o primeiro culto de Natal.

Trabalharam sem descanso, consertando o telhado, refazendo o piso, pintando… e, bem antes do Natal, em 18 de dezembro, tudo estava pronto! Mas, no dia seguinte, desabou uma terrível tempestade, por dois dias inteiros. No dia 21, o pastor foi até a igreja. Seu coração doeu quando observou que parte do telhado havia desabado e uma grande área do revestimento de gesso decorado da parede do santuário, logo atrás do púlpito, havia caído.

O jovem pastor, enquanto limpava o chão, pensava em como resolver a situação. No caminho de casa, pensando em adiar o culto de Natal, observava as vitrines enfeitadas para a época, quando notou um bazar beneficente e parou por instantes. Chamou-lhe a atenção uma linda toalha de mesa, de crochê, na cor marfim, com um crucifixo delicadamente bordado no centro. Parecia ser do tamanho exato para cobrir o estrago atrás do púlpito. De pronto, comprou-a e resolveu voltar para a igreja.

Nesse momento, começou a nevar. Apressou seus passos e, quando chegava à porta da igreja, uma senhora idosa vinha correndo em direção contrária, tentando pegar o ônibus, porém não conseguiu. O pastor convidou-a a entrar para esperar pelo próximo ônibus, que só viria 45 minutos depois, enquanto se abrigava do frio intenso.

A senhora sentou-se num banco, sem prestar atenção no pastor, que já providenciava a instalação da toalha de mesa na parede avariada. Ao terminar, afastou-se e pôde admirar o quanto a toalha era linda e servia perfeitamente para esconder o estrago.

Então, o pastor notou a senhora encaminhando-se para ele. Seu rosto estava lívido, e perguntou:

— Pastor, onde o senhor encontrou essa toalha de mesa?

O pastor contou a história. A mulher pediu-lhe que examinasse o canto direito inferior para encontrar as iniciais EBG bordadas.

O pastor fez o que a mulher pediu e, intrigado, confirmou.

A mulher disse:

— Essas são as iniciais do meu nome.

Ela havia feito essa toalha de mesa há 35 anos, na Áustria. Então, contou-lhe que, antes da guerra, ela e seu marido estavam relativamente bem de vida, vivendo confortavelmente. Quando os nazistas invadiram seu país, eles combinaram fugir: ela iria antes; e seu marido, uma semana depois, a seguiria. Então, ela foi capturada, trancada numa prisão, e nunca mais viu seu marido e sua casa.

Comovido, o jovem pastor ofereceu-lhe a toalha, mas ela recusou, dizendo que, afinal, a toalha estava definitivamente num lugar bastante apropriado. Insistindo, ofereceu-se para levá-la até sua casa; era o mínimo que poderia fazer. Ela morava no distrito de Staten Island, tendo passado o dia no Brooklin a fim de prestar um serviço de faxina.

No dia de Natal, a igreja estava quase cheia. Foi um lindo culto natalino. Ao final, à porta, o pastor e sua esposa cumprimentaram os fiéis um a um, e muitos diziam que retornariam.

Um homem idoso, que o pastor reconheceu pela vizinhança, permaneceu sentado, atônito. O pastor aproximou-se e, antes que dissesse uma palavra, o homem perguntou:

— Onde o senhor conseguiu aquela toalha de mesa que está na parede? Ela é idêntica a uma toalha que minha mulher bordou, muitos anos atrás, quando vivíamos na Áustria, antes da guerra. Como poderiam existir duas toalhas tão parecidas?

Imediatamente, o pastor entendeu o que tinha acontecido e lhe disse:

— Venha… Eu vou levá-lo a um lugar que o senhor vai gostar muito.

No caminho, aquele homem contou a mesma história da mulher. Ele, antes de poder fugir, também havia sido preso, e nunca mais pôde ver sua mulher e sua casa, pelos últimos 35 anos. Ao chegar à mesma casa onde deixara a mulher, três dias antes, ajudou o velho homem a subir os três lances de escadas, e depois bateu na porta.

O reencontro que se seguiu veio a fechar uma página de uma história interrompida… e o começo de uma nova história. Afinal, quem disse que Deus não trabalha de maneira misteriosa?

O meu desejo é que, a despeito dos desencontros e agruras da vida, você tenha um reencontro com os seus melhores sonhos, crendo que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”. Não desista nunca, lute sempre; e tenha um abençoado 2014!

 

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém
E-mail: samuelcamara@boasnovas.tv

ARTIGOS SEMELHANTES

0 21433

0 21142